A Inveção de Hugo Cabret

Paris, 1930.
 
Na esperança de descobrir uma mensagem de seu falecido pai, um garoto solitário que vive escondido nas dependências de uma estação de trem em Paris, tenta consertar um "autômato", uma espécie de boneco mecânico que funciona com engrenagens como as de um relógio.
 
O garoto é Hugo Cabret, de 12 anos de idade. Para concluir sua façanha ele começa a roubar as peças de um velho senhor que restaura brinquedos também na estação, Paga Georges. Só que o que ele vai descobrir quando ao ser desmascarado por Papa Georges irá mudar completamente a sua vida.
 
Essa emocionante história cheia de aventuras e suspense está contada no filme "A Invenção de Hugo Cabret" (Hugo), de 2011, do brilhante diretor americano Martin Scorsese. O filme é baseado no livro homônimo do escritor americano  Brian Selznick, publicado em 2007, e foi vencedor de 5 Oscar em 2012.

 
 
Ele faz uma belíssima e merecida homenagem ao grande diretor de cinema e de teatro, o ilusionista Georges Méliès, de quem já falamos aqui no blog no post do seu filme "A Viagem à Lua", de 1902. Quem interpreta brilhantemente Papa Georges - Georges Méliès é o ator britânico Ben Kingley.
 
 
Cartaz do filme "A Viagem à Lua"
 
 
O Autômato de Hugo Cabret

Ben Kingsley como Papa Georges (Georges Mèliès)
 
 
Georges Méliès

 
 



A Viagem à Lua

O curta-metragem de 15 minutos,  "A Viagem à Lua" (Le Voyage dans la Lune), de 1902, foi dirigido por um dos pioneiros do cinema, o grande diretor francês Georges Miélès (1861-1838),
 
Inspirada no livro "Da Terra à Lua", de Júlio Verne, essa ficção mostra de maneira poética, teatral e criativa, uma expedição de homens à lua. Um astrônomo que mais parece o mago Merlin, convence outros professores ou cientistas a fazerem uma viagem à lua em um foguete ou cápsula de metal em formato de bala que é disparado por um canhão.
 
 
 
 
Chegando lá o foguete aterrissa justamente no olho direito da "face da lua", formando a figura que se tornaria uma imagem icônica do cinema.
 
Lá eles encontram e entram em confronto com os nativos "selenitas", um povo que vive em uma floresta de cogumelos gigantes, e que recebem esse nome em homenagem à Selene, a deusa grega da lua.
 
Mas antes desse encontro com a população local os astronautas passam a noite dormindo em seus sacos de dormir, enquanto são observados pelo Cosmos, representado pelas sete estrelas da Ursa Maior.
 

 
 
Miéles era um ilusionista, um mágico profissional e também diretor de teatro. Ele estava presente quando os irmãos Lumière fizeram a projeção de La Sortie de l'usine Lumière à Lyon (A Saída da Fábrica Lumière em Lyon), no Grand Café de Paris, em 1895, o marco inicial do surgimento do cinema.
 

Georges Méliès
Ele, que já era um profissional do entretenimento e do ilusionismo, ficou muito encantado com aquela invenção e viu um enorme potencial no cinema como veículo para a ilusão e fantasia, unindo o fantástico ao macabro.
 
Por suas técnicas inovadoras, é considerado o inventor dos efeitos especiais. Charlie Chaplin o chamava de "O Alquimista da Luz".
 
Depois de produzir mais de 500 curta-metragens, morreu no ostracismo em 1838, mas foi devidamente homenageado no filme "A Invenção de Hugo Cabret", de 2011, do diretor Martin Scorsese, vencedor de 5 prêmios Oscar em 2012.
 

  

O Assassinato do Duque de Guise

Um dos pioneiros do cinema, lançado em 1908, o curta O Assassinato do Duque de Guise (L'Assassinat du Duc de Guise), dos diretores franceses Charles Le Bargy e André Calmettes, remonta ao ano de 1588, quando o então rei da França, Henrique III, o último rei da casa de Valois, mandou assassinar seu rival, o Duque de Guise, por causa de uma mulher, a Marquesa de Noirmoutiers, ou Charlotte de Sauve.

 

 
 


Charlotte de Sauve
 
 
Duque de Guise
 
Duque d'Anjou
Rei Henrique III, da França



Os mesmos personagens aparecem com mais profundidade no filme "A Rainha Margot", de 1994, com a atriz Isabelle Adjani, quando o rei Henrique III ainda é o Duque d'Anjou, que por sua vez, também aparece no filme "Elizabeth", de 1988, pois ele foi um dos pretendentes a se casar com a rainha da Inglaterra.


Tanto Anjou como Guise participaram do terrível Massacre de São Bartolomeu, durante as guerras de religião entre católicos e protestantes, como mostrado em "A Rainha Margot".

l'Inferno


O filme "L'Inferno", de 1911, foi o primeiro longa-metragem italiano.




É inspirado no poema épico "A Divina Comédia", escrito por volta do ano de 1310 d.C. pelo brilhante poeta italiano Dante Alighieri.


É um filme mudo, em preto e branco, que representa a viagem espiritual de Dante inicialmente ao Paraíso, onde encontra a musa Beatriz, que pede ao poeta Virgílio (escritor de Eneida) que o acompanhe até os outros círculos do pós-morte: o Limbo e o Inferno.
 
Destaque para a belíssima trilha sonora da banda alemã de rock progressivo Tangerine Dream, na versão reeditada recentemente.
 
 

O Escorpião Rei

O filme "O Escorpião Rei", de 2002, do diretor americano Chuck Russell, é o primeiro de uma série de quatro filmes de ficção dos gêneros ação, aventura e fantasia, que se passa por volta do ano dois mil antes de Cristo.





Por se tratar de uma obra de ficção não há compromisso com períodos ou fatos históricos, mas os personagens e locais dos filmes da série são inspirados em figuras e locações reais.

O personagem principal é o guerreiro mercenário Mathayus, um dos últimos acádios sobreviventes, contratado para livrar as tribos aliadas da tirania de Memnon, o soberano da cidade de Gomorra.

Mathayus é vivido pelo ator Dwayne Johnson (The Rock).

Mesopotâmia


Como eu disse, o guerreiro Mathayus é remanescente da região da Acádia, e é esse fato que nos interessa aqui.

O Império Acádio ficava localizado na Mesopotâmia, uma região confinada entre os rios Tigre e Eufrates, no Oriente Médio, conhecido como Crescente Fértil, atuais Iraque e Kuwait.

A própria palavra "Mesopotâmia" significa "terra entre dois rios".


 

Ele teve seu auge entre os anos de 2.334 e 2.154 a. C., e foi unificado pelo Rei Sargão, após o declínio dos Sumérios, uma civilização muito avançada que ocupou a região entre 5.500 e 3.500 antes de Cristo, da qual se sabe muito pouco, e cujos principais inimigos eram os egípcios e os hititas.
 
O Império Acádio é considerado o primeiro império da história e a capital era a cidade de Acádia. A localização exata não é conhecida mas indícios apontam para a as proximidades da cidade de Bagdá.


 

A Acádia é mencionada na Bíblia no livro do Gênesis, 10:10, que fala sobre o destino dos descendentes de Noé.

Aliás, a própria história contada na Bíblia se passa na Mesopotâmia.

Tanto os sumérios como os acádios foram dominados pelos amoritas em 1792 a.C., com a ascensão da Babilônia e do rei Hammurabi.

Sumérios e o Sistema Sexagesimal


O povos sumérios são a primeira civilização de que se tem notícia.

Dentre seus vários legados estão a escrita e o Sistema Sexagesimal de contagem do tempo e da medida do ângulos.

Trata-se de um sistema de base 60 contado a partir das falanges dos dedos.

Assim foi criada a divisão das horas em 60 minutos de 60 segundos cada um  e também a divisão de 1 grau angular em 60 minutos de 60 segundos.











O Escorpião Rei 2 - A Saga de Um Guerreiro


O segundo filme da série O Escorpião Rei, de 2008, teve a direção de Russel Mulcahy (mesmo da série Highlander), volta um pouco no tempo para contar a história da vida do jovem Mathayus, de como ele se tornou um guerreiro da academia dos Escorpiões Negros e lutou contra o Rei Sargon (ou Sargão),  assassino de seu pai.
 



Rei Sargão


Novamente os personagens são fictícios e a história é apenas uma fantasia para entretenimento.

Já o verdadeiro Rei Sargão viveu entre 2.334 e  2.215 a. C., fundador da dinastia acadiana, tornando-se um dos maiores reis da Mesopotâmia.

Rei Sargão


Rei Hammurabi


No filme também há uma aparição breve do Rei Hammurabi. Na história real, ele foi um rei da dinastia Amorita muito importante que governou a Mesopotâmia, após a fundação da cidade-estado da Babilônia, entre 1.810 a 1.750 a.C. Ele conquistou a Suméria e a Acádia fundando o Primeiro Império Babilônico.



Rei Hammurabi
 
Ele é conhecido pelo seu Código de Hammurabi, um conjunto de leis que contém a Lei de Talião (olho por olho, dente por dente). O código está escrito em um monólito (uma rocha) em escrita cuneiforme, e é anterior ao Torah, o código descrito na Bíblia ditado por Deus a Moisés e aos hebreus.
 
Atualmente o monólito pode ser visto no museu do Louvre, em Paris.
 
Código de Hammurabi - Museu do Louvre
 
O filme se passa na antiga cidade de Nippur, na região do atual Iraque, uma importante cidade mesopotâmica.
 
 
 
 

A Bíblia

A série "A Bíblia" (The Bible), da Netflix, foi lançada em 2013, dirigida por Christopher Spencer, Crispin Reece e Tony Mitchell, e é formada por dez episódios que resumem as histórias contadas no livro sagrado dos cristãos.





1. In The Beginning


O primeiro episódio, "In The Beginning", cobre a história da Bíblia Sagrada a partir criação do universo até a morte de José no Egito, como relatado no livro do Gênesis, o primeiro livro da obra.

Ele mostra rapidamente:

- como Deus criou o universo em 6 dias e descansou no 7o dia
- a história de Adão de Eva e a expulsão do casal do Éden depois que eles provaram do fruto proibido
- a história dos filhos de Adão e Eva: Caim, Abel e Set
- o dilúvio e a arca de Noé.

Em seguida ele fica mais focado na história de Abraão e Sara (1800 a 1600 a. C), em seu sobrinho Ló (ou Lot), na destruição da cidade de Sodoma e no sacrifício de Isaac.

Depois disso ele dá um salto para a vida de Moisés, que será mostrada no segundo episódio, e que falará sobre o Êxodo.

O episódio pula eventos importantes, como:

- o que ocorreu com Ló e suas filhas na montanha, depois da destruição de Sodoma.
- os filhos gêmeos de Isaac, Esaú e Jacó, e a benção de Isaac
- a vida de Jacó e seus casamentos com as irmãs Raquel e Lia
- os doze filhos de Jacó (ou as doze tribos de Israel) e o poder de José no Egito
- e como os hebreus foram parar no Egito, onde então se tornaram escravos após a morte de José.





 

2. Exodus


O segundo episódio, Exodus, fala sobre o momento em que os hebreus já estão escravizados no Egito, sob o governo do faraó Ramsés II.

Moisés, um hebreu da tribo de Levi que havia sido criado como irmão adotivo de Ramsés, descobre sua verdadeira origem e recebe a mensagem de Deus para libertar seu povo.
 
Como Ramsés se recusou a libertá-los, o Senhor Deus mandou então as 10 pragas do Egito, como um sinal de seu poder.
 
Ainda houve o evento da abertura do Mar Vermelho para que os hebreus atravessassem em segurança, fugindo dos soldados do furioso faraó.

 

 
Possível rota dos hebreus durante o Êxodo
 

O Êxodo Decodificado

 
Existe um documentário de 2006 chamado "O Êxodo Decodificado" (original: The Exodus Decoded), com a participação do diretor James Cameron, que se propõe a explicar todas as pragas do Egito e a abertura do Mar Vermelho, associando esses eventos à grande erupção de um vulcão na ilha de Santorini (ou Thera), na Grécia, que ocorreu por volta de 1.500 a.C., também conhecida como Erupção Minoica porque destruiu a população minoica que habitava a ilha de Creta.
 
Apesar de ser muito interessante, o documentário apresenta argumentos que não se sustentam cientificamente e que, mesmo que realmente comprovados, não invalidariam a intervenção divina na impressionante sequencia de fatores que proporcionaram a libertação dos hebreus, o povo escolhido por Deus, da dominação dos egípcios.
 

 

Livros não mostrados na série:


Levíticos: o terceiro livro da Bíblia e do Pentateuco descreve detalhadamente os rituais sagrados que deveriam ser seguidos pelo povo hebreu e atribui a responsabilidade sacerdotal aos Levitas, descendentes de Levi, o terceiro filho de Jacó com sua primeira esposa Lia.
 
Por terem sido destacados dessa maneira, em substituição ao primeiro filho de cada tribo, que deveria ser entregue aos serviços do Senhor, os levitas não receberiam uma parte da Terra Prometida, mas as outras tribos teriam que pagar o dízimo para sustenta-los.
 
Entre as rígidas instruções enviadas por Deus foi enfatizado que os hebreus jamais poderiam prestar oferendas à entidade Moloc (ou Moloch), o que seria um pecado gravíssimo (Lv 20, 2-5).
 
Números: o quarto livro da Bíblia e do Pentateuco, traz o recenseamento ou levantamento do número de pessoas de cada família ou tribo, de quantos estavam aptos ao serviço militar, feito no segundo ano após a saída do Egito.
 
Ao todo, o acampamento contava com mais de 600 mil integrantes aptos ao serviço militar, sem contar a tribo dos levitas.
 
 

3. Homeland

 
O terceiro episódio salta para o início dos Livros Históricos (Profetas), que possui 16 livros, começando com o livro de Josué, o sexto livro da Bíblia, e vai até o livro dos Salmos, o vigésimo primeiro.
 
 

 
 
O episódio começa com a tomada da cidade de Jericó, pelos hebreus, com a ajuda da prostituta Raab, como descrito no livro de Josué. Isso seria por volta de 1.270 a. C.
 

Sansão e Dalila

 
Passam-se 100 anos e os israelenses voltam a viver em pecado contra Deus, que manda então os filisteus como castigo. Mas ao mesmo tempo o Senhor envia também um líder para defender seu povo: o juiz Sansão.
 
Filho de uma mãe estéril, Sansão possuía uma força sobre-humana vinda  de seus longos cabelos que jamais poderiam ser cortados. E com essa força ele lutava contra os filisteus. Até que conhece Dalila, uma mulher filisteia, e a toma como companheira. Já era sua segunda esposa filisteia, pois a primeira havia sido assassinada.
 
Porém Dalila, movida por interesse, trai o marido cortando seus cabelos a pedido dos  chefes dos filisteus, que o deixam cego e o tornam um escravo.
 
A história de Sansão está contada no livro Juízes, o segundo livro histórico e o sétimo da Bíblia, e também pode ser vista no filme "Sansão e Dalila", de 1949.

 
 

Samuel e Saul

 
Cinquenta anos depois da morte de Sansão, o profeta ancião Samuel, líder e último dos Juízes,  é pressionado pelos hebreus para escolher um rei para os israelitas, já que seus filhos, acusados de corrupção, já não possuem credibilidade entre o povo e não serão aceitos como seus sucessores.
 
Samuel então unge Saul como o primeiro rei de Israel, como descrito em I Samuel, o quarto livro histórico e nono livro da Bíblia.

* A mãe de Samuel também era estéril assim como tantas outras mulheres da Bíblia que deram à luz  grandes homens.
 
 
 




O Amante da Rainha

Dinamarca, 1766.

A jovem princesa Carolina Matilde, da Casa de Hanover, da Inglaterra, chega ao país aos 15 anos de idade para se casar com seu primo, o Rei Christian VII, então com 17 anos de idade.
 
O casal não terá proximidade maior do que a exigida pelo protocolo convencional e a intimidade entre ambos será a mínima necessária para a geração dos herdeiros do trono.
 
Porém, tudo muda quando um terceiro elemento chega ao núcleo familiar. O médico alemão  Johann Friedrich Struense, conquista a confiança e a admiração do rei e compartilha ideias iluministas com a rainha.
 
A história desse triângulo ideológico e amoroso, propulsor de ideias e reformas iluministas na Dinamarca, está contado no filme "O Amante da Rainha" (En kongelig affaere), de 2012, do diretor dinamarquês Nikolaj Arcel.
 
O filme concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2013.


.
 
O filme começa em 1775, com a Rainha Carolina Matilde já no exílio em Hanover, na Alemanha, onde estava desde 1772. Ela escreve uma carta para os filhos onde conta sua versão da história e os motivos que a levaram a tomar as atitudes que tiveram tais consequências..
 
Ele então retrocede para 1766, na Inglaterra, quando Carolina se prepara para se mudar para a Dinamarca e finalmente conhecer seu esposo.
 
Carolina, que gostava muito de ler, leva consigo alguns livros que, quando descobertos, são imediatamente mandados de volta para a Inglaterra por serem considerados inapropriados na Dinamarca. São livros de escritores precursores do iluminismo, considerados subversivos, e são então censurados.
 
Apesar de logo conseguir engravidar e gerar um herdeiro para o trono, seu relacionamento com o marido era instável, principalmente devido aos problemas mentais do monarca, que agia de maneira infantil e irresponsável, e não escondia sua vida sexual desregrada.
 
É nesse momento que entra em cena o rústico porém letrado médico alemão Johann Friedrich Struensee. Inserido no seio real como uma espécie de espião por conspiradores liberais, o médico, com seu jeito seguro de si ele consegue exercer uma forte dominância sobre o rei.
 
O médico logo percebe que Christian gosta muito de atuar, de representar como um ator, como se estivesse o tempo todo diante de uma plateia. E conclui que essa é a melhor maneira de persuadi-lo, induzindo-o a vencer seus medos e inseguranças através da atuação.
 
Johann também passa a exercer um facínio sobre a rainha, que compartilha dos mesmos ideais reformadores, inspirados pelos livros dos iluministas Rosseau e Voltaire, que ambos gostavam de ler. Não demorará para que essa afinidade ideológica se torne algo mais entre os dois.

 
Rainha Carolina Matilde da Dinamarca
1766-1775
Rei Christian VII da Dinamarca
1766 - 1808



Dr. Johann Friedrich Struensee 
 
Carolina era irmã mais nova do então rei da Inglaterra, Rei George III. Já falamos dele aqui no blog com a postagem dos filme "As Loucuras do Rei George" e "O Patriota". Foi ele quem conseguiu negociar o exílio da irmã em terras germânicas.